Na noite comemorativa dos 75 anos da ganadaria de Murteira Grave, o curro muito serio a pedir contas a cavaleiros e forcados. Díspar de apresentação e de comportamento. Todos os toiros humilharam nos capotes, tiveram mobilidade e durabilidade. Destaque para o 4º toiro da noite, na opinião do ganadeiro, foi o melhor do curro oriundo de Galeana.

A noite foi de Luís Rouxinol Jr. O mais novo de alternativa do cartel veio a Lisboa afirmar-se como o “João Felix” da tauromaquia portuguesa. O primeiro toiro do seu lote era incomodo e distraído. O de Pegões pós a carne no assador ao realizar uma emocionante sorte de gaiola montando o cavalo “Gabirú”. Na ferragem curta utilizou o “Douro”, estando bem na brega corretíssimo na cravagem e rematando as sortes com muita toreria.

Diante do último toiro da noite o Rouxinol que quer ser a Águia do nosso escalafon manteve o nível, desta vez montando o “Amoroso”. Foram duas atuações redondas com destaque para a primeira que foi sensacional.

João Telles Jr. Esteve bem diante do primeiro toiro da noite em especial na ferragem curta. O segundo toiro do seu lote um toiro muito encastado, Telles Jr cravou ferros ao piton contrário e que levaram emoção às bancadas.

Os “graves” não foram fáceis os rapazes das jaquetas das ramagens. Por Santarém foram caras Lourenço Ribeiro à primeira tentativa e Joaquim Grave à quarta. O quinto partiu um piton e quando deveria ter sido recolhido, o Diretor de Corrida (Tiago Tavares) mandou tocar para a cernelha, mas depois arrependeu-se e o toiro acabou por ser pegado de caras.

Pelos rapazes de Coruche foram solistas Miguel Raposo à segunda, João Ferreira Prates à quarta e António Tomás à segunda.

foto: Maria João Mil-Homens @ portadossustos.com