Diversos deputados de diferentes partidos políticos, defendem publicamente a Tauromaquia, como parte integrante da cultura portuguesa, enquanto alguns partidos de extrema-esquerda e radicais animalistas, têm apresentado projetos de lei e recomendações ao Governo de forma recorrente.

Pensam que vão conseguir vencer, por insistência das suas ideias. Amanhã, dia 6 de julho, o PAN (Pessoas, Animais e Natureza) vai apresentar, pela primeira vez um projeto de lei, que visa a proibição total da tauromaquia em Portugal.

Por sua vez o Bloco de Esquerda (partido aliado do PAN), pretende que as transmissões televisivas de corridas de toiros passem a ser obrigatoriamente após as 22h30, com bolinha vermelha no ecrã, para com isto conotar as touradas com violência e assim restringir a visualização a menores.

Por sua vez a A ERC (Entidade Reguladora da Comunicação), já deu parecer negativo a tal intenção, dizendo que as touradas “não são sequer suscetíveis de influir negativamente na formação da personalidade das crianças e de adolescentes”.

Oxalá, impere o bom senso, e os radicalismos e imposições ditatoriais do PAN (de forma direta) e do BE (de forma indireta), vejam reprovados os projectos de lei que vão apresentar no Parlamento.

Leia a posição de vários deputados que defendem a Tauromaquia, como parte inegrante da nossa cultura:

Nuno Serra, PSD (Santarém)
Patricia Fonseca CDS (Santarém)
Ex deputado CDS José Ribeiro e Castro, Observador
António Paula Soares, Sábado
foto: DR.