Na terceira avaliação do pós-programa de ajustamento orçamental, a Comissão Europeia defende que a subida do salário mínimo nacional, vai aumentar o nível de desemprego de longa duração.

Para Bruxelas a medida pode ser prejudicial para “a empregabilidade dos trabalhadores pouco qualificados, cujas perspectivas laborais já são sombrias”.

A Comissão Europeia analisou desta forma, o facto de o Governo de António Costa ter avançado com um aumento do Salário Mínimo Nacional de 505 para 530 euros em janeiro de 2016 e de “pretender aumentar progressivamente o salário mínimo até 600 euros por mês em 2019 (pago 14 vezes por ano)”.

Foto: EPA – Julien Warnand