O matador de toiros Miguel Angel Perera, realizou esta semana no Ateneu de Sevilha, uma o homenagem à “Geração de 27”, um importante movimento cultural de Espanha, que se reuniu pela primeira vez em 1927, sendo a obra mais famosa conhecida o “Llanto por la muerte de Ignacio Sánchez Mejías”, de Frederico Garcia Lorca, um lamento pela morte do matador Sánchez Mejías, colhido por um touro.

Noventa anos depois, recriou-se esta reunião de intelectuais, políticos e desportistas internacionais. A presença portuguesa esteve a cargo de Elísio Summavielle (presidente do Centro Cultural de Belém e ex-secretário de Estado da Cultura), do artista plástico Pedro Cabrita Reis e de Hélder Milheiro (representante da Federação Protoiro).

O tenor Plácido Domingo, o filósofo Fernando Savater, o ator Juan Echanove, o poeta Carlos Marzal, o cantor Manuel Lombo, o músico Javier Perianes, a ex-tenista Conchita Martínez, a canoísta Beatriz Manchón, a ex-ministra de Cultura Carmen Calvo, o jornalista Rubén Amón e a atriz, escritora e membro da Academia Francesa Florence Delay, foram os outros convidados para estarem presentes nesta homenagem à “Geração de 27”.

fotos: nuevotercio comunicación e Salazar